Queridos pais e responsáveis:

Criar filhos pode ser uma jornada desafiadora e cheia de questionamentos. Será que você se identifica com esta mãe em algum ou vários pontos?

“Eu sou mãe de sete filhos e avó de dezoito. Muitos anos atrás, quando tinha apenas cinco filhos, incluindo dois adolescentes, eu era frustrada com problemas relacionados à criação, problemas que são enfrentados por tantos pais atualmente. Eu não sabia como fazer meus filhos pararem de brigar uns com os outros, guardar seus brinquedos ou cumprir as tarefas que prometiam. Eu tinha problemas para colocá-los para dormir à noite e depois para fazê-los acordar de manhã. Eles não queriam entrar no banho e depois não queriam sair.

As manhãs eram terríveis, pois parecia impossível levá-los à escola sem lembretes e aborrecimentos constantes. Depois da escola, as batalhas para fazer a lição de casa e cumprir as tarefas continuavam. Minha “caixa de truques” incluía ameaçar, gritar e bater. Esses métodos faziam que meus filhos e eu nos sentíssemos muito mal e, além de disso, não funcionavam. Eu ameaçava, gritava e batia repetidamente por causa dos mesmos maus comportamentos. Isso se tornou claro para mim no dia em que me ouvi repetindo “Eu já disse mais de cem vezes para guardar os brinquedos!” De repente me dei conta de quem era a verdadeira idiota; e não eram as crianças. Que ridículo ser necessário repetir cem vezes para eu perceber que minha abordagem não estava funcionando! E o quão frustrante era, pois eu não tinha ideia do que mais poderia fazer.”

Mas, esta história tem um final muito feliz! Esta mãe, escreve:

“Para intensifica meu dilema, eu estava no último ano da faculdade, concluindo uma graduação em desenvolvimento infantil. Eu lia vários livros maravilhosos que expunham as coisas incríveis que eu deveria estar realizando com meus filhos, mas nem um deles explicava como alcançar esses objetivos grandiosos. Imagine o meu alívio quando no primeiro dia de aula, ouvi que não iríamos aprender novas teorias e, sim, que iríamos de fato investigar detalhadamente a abordagem Adleriana, incluindo habilidades de aplicação prática para ajudar as crianças a parar maus comportamentos e a ensinar-lhes autodisciplina, responsabilidade, cooperação e habilidades de resolução de problemas.

Para minha alegria, funcionou. Fui capaz de reduzir brigas entre as crianças em pelo menos 80%. Aprendi a eliminar os aborrecimentos matinais e noturnos e a conseguir muito mais cooperação no cumprimento das tarefas. A mudança mais importante foi descobrir que eu gostava de ser mãe – na maior parte do tempo.”

A partir de então essa mãe, , Jane Nelson, ficou tão entusiasmada em compartilhar essas ideias com outras pessoas e começou sua longa trajetória.

Hoje, temos os livros dessa renomada psicóloga e educadora, “Disciplina Positiva” publicados em vários países e aqui no Brasil também. Após 30 anos desde sua primeira edição, este bestseller continua sendo referência para milhares de pais e professores.

Se você se identificou, ao menos um pouquinho, com o que ela disse no prefácio de seu livro, conheça a Disciplina Positiva, que é baseada na filosofia de Alfred Adler e Rudolf Dreikurs e, quem sabe, possa vir a se identificar com ela nas seguintes frases também:

“Não tive o privilégio de estudar com esses grandes homens, mas gostaria de agradecer àqueles que me apresentaram à abordagem Adleriana. Mudou a minha vida e melhorou muito o meu relacionamento com as crianças em casa e na sala de aula.”

Boa leitura!

Fonte:

Jane Nelsen, Disciplina Positiva

Edição brasileira 2015

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
Powered by