DISCIPLINA POSITIVA

Baseado no livro Disciplina Positiva de Jane Nelsen

Alguma vez você ouviu pessoas comentando ou se perguntou porque as crianças não se comportam como nos “bons e velhos tempos”?

Alguns avós se lembram da época em que os pais falavam e as crianças obedeciam, mas provavelmente se lembram também daquele tempo em que o papai falava e a mãe obedecia ou o chefe da empresa estabelecia as normas e o empregado, o papai, apenas as cumpria.

Esta não é mais a realidade da maioria das pessoas e famílias no mundo ocidental.

As mulheres se emanciparam, os sindicatos de trabalhadores lutaram por seus direitos, as pessoas se fizeram ouvir e buscaram ser respeitadas. O mundo mudou e as relações de submissão, consideradas normais nos “bons e velhos tempos”, hoje são inaceitáveis.

Por que então nos surpreendemos quando nossas crianças nos questionam, quando não aceitam passivamente “fazer porque o papai mandou”?

Muitas vezes, rotulamos a criança de malcomportada. Mas, qual é a mensagem escondida por trás do mau comportamento?

O que crianças indisciplinadas estão tentando nos dizer com seu mau comportamento?

Será que devemos recorrer aos métodos rígidos de antigamente e que surtiam efeito imediato no comportamento infantil?

Você alguma vez já se perguntou quais são os efeitos em longo prazo para crianças que aprendem por meio de métodos rígidos? Tem alguma lembrança de algo que aconteceu na sua vida?

O que muitas crianças pensam enquanto estão sendo punidas? Quais são os resultados imediatos da punição? Quais são os resultados em longo prazo da punição?

Será que existe um outro caminho? Qual a diferença entre se impor às crianças, e conquistar as crianças?

Pergunte a si mesmo que características você gostaria que as crianças internalizassem como resultado da interação com você?

Para você que está buscando uma maneira mais positiva de criar seus filhos, que não seja rígida, nem tampouco permissiva e que os ajude a desenvolver habilidades de vida para se tornarem adultos bem-sucedidos, cidadãos felizes e contribuintes para o bem de sua comunidade, temos uma boa notícia. Sim, isso é possível através da Disciplina Positiva.

Disciplina Positiva se baseia no trabalho de Alfred Adler e Rudolf Dreikurs e nos livros da série escritos pela Dra. Jane Nelsen e diversos coautores (Lynn Lott, Cheryl Erwin, entre outros), e ensina habilidades sociais e habilidades de vida para crianças, adolescentes, casais e colaboradores das empresas a tornarem-se responsáveis, respeitosos, resilientes e com recursos para solucionarem problemas por toda a vida.

A Disciplina Positiva tem como base o conceito de que disciplina pode ser ensinada com firmeza e gentileza ao mesmo tempo, sem punição, castigo ou recompensa. Esta filosofia apresenta o caminho intermediário entre o autoritarismo e a permissividade.

Alguns conceitos importantes

  1. Conquiste as crianças em vez de usar seu poder para se impor a elas.
  2. Proporcione oportunidades para as crianças desenvolverem e praticarem as Sete Percepções e Habilidades Significativas a fim de aumentar seu senso de autoestima.
  3. Pare de “dizer” e comece a “perguntar” de um jeito que convide as crianças a participar da resolução de problemas.
  4. Lembre-se de que o sentimento por trás do que você faz ou diz é mais importante do que o que você faz ou diz.
  5. Envolva as crianças na discussão das tarefas que precisam ser feitas e de um plano para realizá-las.
  6. Evite superproteção para que as crianças possam desenvolver uma crença em suas próprias habilidades.
  7. Ensine e pratique a crença de que erros são oportunidades maravilhosas para aprender.
  8. Certifique-se de que a mensagem de amor esteja clara.

A Disciplina Positiva aponta alguns critérios para determinar a efetividade da disciplina.

Os Quatro Critérios para uma Disciplina Efetiva

  1. 1. É gentil e firme ao mesmo tempo? (Respeitosa e encorajadora)
  2. Ajuda as crianças a desenvolver um senso de aceitação e importância? (Conexão)
  3. É efetiva em longo prazo? (Punição funciona em curto prazo, mas apresenta resultados negativos em longo prazo)
  4. 4. Ensina habilidades sociais e de vida valiosas para a formação de um bom caráter? (Respeito, preocupação com os outros, resolução de problemas, responsabilidade, contribuição, cooperação)

As duas diferenças principais entre Disciplina Positiva e outros métodos

Por quê essas diferenças são importantes em longo prazo.

  1. Não é rígida nem permissiva.

Rigidez: “Essas são as regras e essa será a punição por violar as regras.” Crianças não são envolvidas no processo de decisão. Mostra uma falta de respeito pela criança

Permissividade: “Não existem regras. Nós vamos ser felizes e nos amar e você vai se capaz de fazer as suas próprias regras no futuro”. Mostra uma falta de respeito pelo adulto.

Disciplina Positiva: “Juntos, vamos decidir as regras para nosso benefício mútuo. Vamos também pensar juntos em soluções que vão nos ajudar a resolver nossos problemas. Quando eu precisar usar o meu discernimento sem a sua interferência, vou ser firme com gentileza, dignidade e respeito”. Respeito mútuo.

  1. Quais são os efeitos em longo prazo para crianças que aprendem por meio de métodos rígidos? Por quê?

O problema com a rigidez é que a punição consegue eliminar o mau comportamento imediatamente, mas em breve ele recomeça. Muitos adultos se recusam a desistir de suas tentativas de controlar excessivamente, pois acreditam equivocadamente que a única alternativa é a permissividade. Alguns têm medo de abrir mão do controle e não estar fazendo seu trabalho como pais e professores.

Vamos olhar mais de perto a rigidez e punição. Muitas pessoas têm convicção de que elas funcionam. Sim, elas funcionam. A punição interrompe o mau comportamento imediatamente. Mas, quais são os resultados em longo prazo? As crianças não desenvolvem características positivas baseadas em sentimentos e decisões subconscientes que resultam da punição. Pesquisas têm mostrado que crianças que experimentam uma grande quantidade de punições tornam-se rebeldes ou temerosamente submissas.

Quando é usado controle excessivo, crianças ficam dependentes de um “lócus de controle externo”. O adulto fica responsável pelo comportamento da criança o tempo todo. A forma mais popular de controle excessivo usada por pais e professores é o sistema de recompensas e castigos. Nesse sistema, os adultos precisam ver quando as crianças são “boas” para dar recompensas ou flagrá-las quando se comportam mal para dar um castigo. Quem está sendo responsável? O adulto obviamente. E o que acontece quando ele não está por perto? As crianças não aprendem a ser responsáveis pelo seu próprio comportamento.

Muitas vezes os adultos controladores reclamam que as crianças não são responsáveis, porém eles mesmos as estão treinando para ser irresponsáveis. Muitas vezes, somos enganados pelos resultados imediatos, mas precisamos ficar atentos aos resultados em longo prazo da punição em crianças, os quais são negativos.

Resultados em longo prazo da punição

Os resultados em longo prazo da punição são que as crianças, em geral, adotam um ou os Quatro R da Punição:

Os Quatro R da Punição

  1. Ressentimento – “Isso não é justo. Eu não posso confiar nos adultos.”
  2. Retaliação – “Eles estão ganhando agora, mas eu vou me vingar.”
  3. Rebeldia – “Eu vou fazer exatamente o contrário para provar que eu não tenho que fazer do jeito deles.”
  4. Recuo
  5. Dissimulação – “Eu não vou ser pego da próxima vez.”
  6. Redução da autoestima – “Eu sou uma pessoa ruim.”

Com frequência, as crianças não estão conscientes das decisões que estão tomando em resposta à punição, mas seus comportamentos futuros vão ser baseados nessas decisões subconscientes.

  1. Quais são os efeitos em longo prazo para crianças que aprendem por meio da Disciplina Positiva? Por quê?

A Disciplina Positiva não inclui não inclui nenhuma culpa, vergonha ou dor (física ou emocional) como motivadores. Não humilha adultos ou crianças. Por outro lado, a permissividade é humilhante para adultos e crianças e cria uma co-dependência nada saudável, em vez de autossuficiência e cooperação.

O propósito da Disciplina Positiva é atingir resultados em longo prazo, bem como responsabilidade e cooperação de imediato. Ela é baseada no respeito mútuo e cooperação. Incorpora gentileza e firmeza ao mesmo tempo como fundamentos para ensinar competências de vida e sociais em base em um lócus de controle interno.

Um dos conceitos mais importantes que precisam ser entendidos na Disciplina Positiva é que as crianças são mais propensas a seguir as regras que elas ajudam a estabelecer. Elas aprendem a tomar decisões eficientes com autoconceitos mais saudáveis quando aprendem a ser membros que contribuem com a família, a classe e a sociedade e assim desenvolvem um lócus de controle interno, não ficarão sempre dependentes do controle de um adulto ou outro tipo de sistemas de méritos e deméritos para saber se o que fez e considerado bom ou inaceitável.

Esses são efeitos importantes da abordagem da Disciplina Positiva em longo prazo.

Uma das ferramentas em Disciplina Positiva enfatiza que “erros são ótimas oportunidades de aprendizagem”. Todos aprendemos observando. Os adultos podem e irão errar, mas aprenderão ferramentas para reparar seus erros e focar em soluções.

Ferramentas da Disciplina Positiva

  • Conexão antes da correção
  • Ser gentil e firme ao mesmo tempo
  • Oferecer escolhas limitada
  • Foco na solução e não nos culpados
  • Falar menos – agir sem palavras
  • Perguntar mais
  • Use um tom de voz respeitoso
  • Validar os sentimentos da criança
  • Controlar seu próprio comportamento
  • Demonstrar que você se importa (olho no olho)

Fica aqui uma reflexão:

“Assim como as crianças precisam de treinamento, os pais também precisam ser treinados. O treinamento consiste em aprender novas respostas às provocações das crianças, e que pode levar a novas atitudes e abrir novos caminhos onde florescem relacionamentos harmoniosos.” (Rudolf Dreikurs)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
Powered by